Banda Aláfia lança vídeoclipe da música Saracura no aniversário do Bixiga

banda aláfia saracuraDia 01 de outubro, data em que o Bixiga comemora seus 139 anos, a banda Aláfia fará o lançamento do clipe da música ‘Saracura’ na casa Mundo Pensante.

A letra da música é de Eduardo Brechó, inspirada nos tempos em que morou nas proximidades do Saracura. Ele interpreta a canção ao lado da cantora Luísa Maita, que também tem uma história com a Bela Vista, pois seu pai foi um comerciante local e parte de sua infância se passou nessas ruas.

A criação e direção do clipe foi feita pela cineasta Thais Taverna, nascida e criada na região e neta de Walter Taverna, uma das mais importantes personalidades do bairro, que tem toda uma vida de luta pelas tradições do Bixiga. Foi na letra da música e em toda sua vivência por “cada pedaço iluminado pelos fachos” de suas andanças por essas terras que a cineasta encontrou a representação nua e crua da Saracura.

Saracura é o nome do rio que tem sua nascente na Rua Almirante Marquês de Leão e hoje corre canalizado sob o Bixiga. Seu nome foi dado em homenagem a um pássaro de pernas finas que existia em abundância no local no início do século passado. Quando ainda era uma chácara, o lugar foi refúgio de escravos que fugiam dos leilões realizados no centro da cidade de São Paulo. Pelo rio chegavam nessas terras e formaram quilombos urbanos. A região é chão da Escola de Samba Vai-Vai e da cultura negra no bairro da Bela Vista.

O rio agora corre escondido, mas Saracura torna-se, assim como o Bixiga, uma região não oficial nos mapas, mas que é o estado de espírito de um povo que “ostenta orgulho e faz gente querer voar”

Lançamento do videoclipe da música ‘Saracura’:

Banda Aláfia

Quando: 01 de outubro, a partir das 17h

Onde: Mundo Pensante – Rua Treze de Maio, 830

Saiba Mais: https://www.facebook.com/events/238872426641319

Assista o clipe:

Letra:

Cada rachadura marginal

Deste riacho

Que me agacho e beijo

E me acho

Junto de Deus

Cada pedaço iluminado

Pelos fachos

Que driblam diachos

Altos e baixos arranha céus

Saracura do meu coração

Cada ligadura deste chão

Ostenta orgulho

E faz gente querer voar

Bela Vista

Onde 13 de Maio não

Cruza com Abolição

Quilombo urbano de casarão em casarão

Cada rachadura marginal

Deste sapato engraxado

Alvinegro

Debaixo do mais belo mestre sala

Cada esquina esculachada

Que dá nome à redenção

Saracura

Onde o samba se dá em cachos

Desde os tempos de cordão

Desde os tempos do cae cae e de Henricão

As estrelas são lustres da quadra

No infinito do teto teu

Só o céu e o chão.

Saracura do meu coração

Cada ligadura deste chão

Ostenta orgulho

E faz gente querer voar

Bela Vista

Onde 13 de Maio não

Cruza com Abolição

Quilombo urbano de casarão em casarão e casarão

Cada rachadura marginal deste asfalto

Desfilaram Pés Rachados,

Pato Nagua, Armandinho, Madruga e Zelão,

Oswaldinho e Geraldão Amado Maita e Nelsão

Itamar Assumpção

Branca de Neve e Mano Brown Sabotage e Região Abissal